segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Amor Desconcertante

Não tenho nada que me prove a existência de Deus,
Mas mesmo assim ele continua sendo
O absoluto dos meus dias.
Nunca choveu maná no quintal de minha casa
E a imagem que tenho da Virgem Maria
Nunca derramou uma lágrima.

O que tenho aqui é esta mão machucada,
Este dedo sangrando,
Este nó na garganta,
Este humano desconsolo,
Esta dor,
Esta cor,
E este olhar desconcertante de Deus,
Deixando-me sem jeito,
Ao dizer que me ama.



Confesso que o amor de Deus me constrange. Uma vez que você experimenta desse sentimento nenhum outro irá te satisfazer. Amor que cura, liberta, renova, santifica. É um amor que vai além da minha compreensão. Por tantas vezes nesta vida eu andei por caminhos que o mundo me oferecia, encantadores até. Não sou hipócrita para dizer que não são encantadores. Se não fosse, ninguém andaria. As coisas do mundo enchem os nossos olhos. A princípio nos traz alegria, mas é tão fugas e em nada nos preenche. Mas eu andei por esses caminhos, eu me apeguei as essas coisas. Degustei dos sabores dos pecados, mergulhei nos encantos mundanos. Prejudiquei a mim e tantos outros. E em um determinado momento, Deus se aproxima, me olha nos olhos, me estende a mão e me acolhe. Amor que me transfigura, me restitui. Desconheço outro amor que me faça sentir assim. E o que mais me comove é que mesmo depois de experimentado esse amor, eu ainda caio. Minhas fraquezas são tantas, tamanhas são as minhas misérias, é só dar uma brechinha pro inimigo e me perco novamente. Não sou digna de receber tanto amor, mas assim Ele faz: deixa todas as outras ovelhas, vai ao meu encontro, fixa sobre mim seu olhar, me veste com a melhor roupa, coloca um anel em meu dedo, calça os meus pés, e me prepara uma festa. AMOR DESCONCERTANTE! Amor Sacramental.  Deus escolhe mesmo os piores. E por mais que alguma outra força tente me afastar desse amor, meu coração sempre estará sedento dessa graça. Nem os meus erros, nem os meus pecados, nem as minhas misérias poderão me separar do amor de Deus.  De fato, intuiu brilhantemente santo Agostinho: "Fizeste-nos para ti, Senhor; e nosso coração estará inquieto, enquanto não repousar em ti." E o nosso coração têm sede insaciável pois foi criado para o eterno! Volta para Deus Camila, Volta para Deus leitor! Ele nos espera ansiosamente e de braços abertos. 
Camila Almeida