sábado, 2 de outubro de 2010

Eu quis tanto!


Depois de um dia agitado e cheio de emoções, acho que preciso desabafar um pouco aqui!Aliás, como sempre,prefiro que o meu saudoso Caio traduza os meus sentimentos em palavras.


Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você. Eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende?
Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu.

Caio Fernando de Abreu.

2 comentários:

Ariana disse...

"Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você. "

Sempre temos o defeito de enxergar as pessoas mais do que elas são, normal isso!

Texto lindo!


Beijos e boa semana!

Igor Carneiro disse...

Pena que está tudo no pretérito... Mas, falando mesmo, o amor de Deus assim nunca ficará... Sempre Ele nos amou antes e gratuitamente, nós é que, de vez em quando, o rejeitamos...

Grande abraço!

Shalom!